Arquivo

Archive for the ‘EaD’ Category

Quebra cabeças “educomunológico”: JOVAED

01/07/2011 2 comentários

jovaed

Vocês estão vendo esta bolinha ai em cima?

Quem sabe do que se trata?

Na realidade é um link para minha pearltree sobre algumas atividades do JOVAED que pude acompanhar como colaborador do JOVAED e como participante em algumas delas. Contem links para palestras, ambientes utilizados, atividades,  videos e outros conteúdos que fui colecionando, durante o evento. É meu PLE do JOVAED que espero possa fazer parte do grande PLN criado durante o evento.  (é um produto inacabado,  e espero continuar a construí-lo ainda por muito tempo)

Gostaria de deixar aqui meu agradecimento aos  colegas do projeto JOVAED/ABED, aos palestrantes e netweavers de cada atividade, e aos brilhantes participantes que nos ajudaram no sucesso do evento e em nossa trilha em busca do conhecimento. Uma boa sorte a todos, e até qualquer hora e lugar!

Anúncios

Cobertura da cobertura do SENAED

28/04/2011 2 comentários

Encontros presenciais são e deverão continuar a ser um dos formatos mais importantes para discussões sobre educação. Nacionais ou regionalizados eles agregam as cabeças pensantes dentro de cada temática e esta agregação provoca a emergência (palavrinha imprescindível nos discursos contemporâneos) de debates que dificilmente se consegue em encontros virtuais (ainda não).

Mas o melhor de tudo é que não existem mais encontros presenciais dissociados de um a companhamento online, e ai esta se vendo uma emergencia ainda mais rica, trazendo para o debate aqueles que não puderam estar presentes fisicamente e que participam através dos diversos canais de comunicação “virtuais”.

É o que acontece em muitos congressos e seminários e nesta semana, com o Seminário Nacional ABED de Educação a Distância (SENAED)  que esta ocorrendo em João Pessoa, esta acontecendo o encontro do “real com o virtual”.

Através de twitter ( @hercilioms, @maysaab, abed ,  entre inumeros outros twiteiros,  com a hashtag #8senaed), de blogs (Aquifolium e Mattar),  do (ou seria da) facebook, do flickR da abed, entre outros instrumentos de comunicação social, centenas, talvez milhares de pessoas estão acompanhando o evento a distância, de seus ambientes de trabalho, suas casas, seus aparelhos móveis, e quem sabe lá mais o que.

E aqui neste blog, esquecido pelo próprio blogueiro, sobre nosso #easdsunday de todo santo dia, vou tentar fazer uma cobertura das coberturas online do SENAED, pelo menos do primeiro dia.

Começou com as falas de:

  • Mariana Raposo, do SESI da Paraíba sobre Necessidades e Expectativas das indústrias da Paraíba em relação ao e-learning.
  • Lea Depresbiteris sobre Formação de Competências em EaD.
  • Vani Kenski: Design Instrucional – novos desafios para a EaD.

Da palestra inicial ficam duas constatações: dificuldade de acesso nas industrias, com poucos espaços dedicados, e o potencial para as tecnologias móveis.
Me parece que as constatações não fazem muito sentido por serem antagonicas. Mas eu não estava lá então fica aberto para quem esteve lá.

Na segunda fala a minha contrariedade foi em relação a colocação da palestrante de que não existe distinção entre habilidade e competência. Quem concorda? Quem discorda? Eu discordo!
E “faço a defesa na própria colocaão feita de que “A Competência básica em EaD é a integração dos meios”. Para que isto ocorra é preciso que:  se CONHEÇA os meios e mais do que isto seus usos pedagógicos; se desenvolva as HABILIDADES necessárias para utilizar/usar/ operar estes meios; e principalmente se tenha ATITUDE para integrar o CONHECIMENTO e a HABILIDADE  no processo pedagógico.

Na fala da prof. Vani aproveito para colocar algumas contribuições de colegas no twitter.


Agora tá ficando com cara de #eadsunday

Na segunda parte composta por varios eventos, parece  que todos, pelo menos no twitter, foram ao debate sobre o termo “TUTOR e suas habilidades.” Assita e leia uma sequencia de tuites sobre este debate:

E ainda neste tema, temos um bom resumo no blog do prof. João Mattar que esta coordenando este evento no SENAED.

Categorias:#eadsunday, DI, EaD

To be or not? Tutor ou Professor? Professor é tutor?

08/02/2011 4 comentários

Estava relutante em abordar os temas abaixo, acho que careço de conhecimentos suficientes para palpitar com profundidade alguns assuntos em um blog, mas algumas situações nas últimas semanas me forçam a passar por cima de minha timidez bloguística.

A duas semanas atrás em uma twitter session sobre práticas pedagógicas com os colegas @eldonclayton @daisygrisolia e @filhadarosa fiz uma colocação e houve uma réplica da a@daisygrisoli que me deixou encafifado e esta transcopypaste a seguir:

  • @eldonclayton: Por que é tão difícil a escola (leia-se: professores) aceitar e incorporar as TICs e Redes sociais no fazer pedagógico?
    eu leria “escola – estrutura política- e professores” pois nossa atuação docente depende  em maior ou menor escala da escola + do que do professor
  • @eldonclayton: Exatamente @daisygrisolia… As escolas precisam de Professor 2.0 – acredito q o diagnostico e capacitação são indispensáveis!
  • @btrautwein: @eldonclayton @DaisyGrisolia: @filhadarosa #eadsunday mudanças nas práticas devem começar com mudanças significativas nas políticas, senão … continuaremos a viver de práticas inovadoras isoladas e de propaganda enganosa
  • @daisygrisolia: @btrautwein #eadsunday só acredito em políticas públicas, articuladas pelos cidadãos – não perco mais tempo com política de governo.

Mas as políticas públicas são definidas pelos políticos (teoricamente orientados por técnicos que fazem parte daquilo que chamamos sociedade, ou cidadãos, que por sinal elegem os políticos). E isto ficou martelando em minha cabeça .

Para piorar vem o @joaomattar com o I Encontro Nacional de Tutores da EaD (ENTEAD se colocar um O ao final, caimos em um paralelo interessante: professor = filho, tutor = enteado, deveriam ser tratados iguais, mas na maioria das vezes não o são).

E na segunda e terça seguintes (07 e 08/02) leio noticias sobre educação no Jornal de Catarina (impresso para que eu não me transforme em um ser essencialmente digital) e me deparo com perólas  sobre a situação da educação no estado de SC, que com certeza se repetem em menor e maior escala em todas as unidades da federação.

  • falta de professores em varias disciplinas = alunos sem aulas (180 professores deixando + d 600 alunos …)
  • licitações para melhoria da infraestrutura de escolas suspensas pela justiça por falhas no processo licitatório (nem lí)
  • mobiliário sendo trocado para maior conforto dos alunos após o início das aulas (para alunos e pais verem que o novo governo esta trabalhando?)
  • concurso para tutor presencial em cursos de letras (tipo do curso que rola muito bem a distância, né?) com salario menor que qualquer outra atividade profissional.
  • Equipe de governo se reunindo para discutir entre outros assuntos, a educação,  após o inicio do ano letivo (para ter cobertura da mídia?)
  • 3 alunos atropelados no primeiro dia de aula
  • e uma pesquisa interessante:  Você incentivaria seu filho a ser professor?

No meio de tudo isto, eu começo a ler uma entrevista de 1987 com um maluco chamado Noam Chomski (alguém desconhece?) onde ele navega com fluência e habilidade nos oceanos da politica, sociedade e linguistica. Nesta leitura, o paragrafo abaixo, que  deixo para que os colegas reflitam e associem com os temas anteriores, meio que direciona a causa de muitas de nossas preocupações.

The professional guild structure in the social sciences, I think, has often served as a marvelous device for protecting them from insight and understanding, for filtering out people who raise unacceptable questions, for limiting reseach — not by force, but by all sorts of more subtle means — to questions that are not threatening.

Tentativa de tradução: A estrutura política (de poder – profissional) nas ciências sociais, eu acho que, muitas vezes tem servido como um dispositivo maravilhoso para protegê-los de qualquer diferente percepção ou compreensão, para filtrar/evitar as pessoas que levantam questões inaceitáveis, para limitar possibilidades de mudança – não pela força, mas por todos os tipos de meios mais sutis – para questões que não são ameaçadoras.

Participe da discussão no twitter #eadsunday e nas postagens do blog do João Mattar abaixo e vamos ampliando a discussão sobre os problemas e soluções:

Categorias:EaD

Domingo na EaD: DI or not DI? que questão!

Boa semana, ou quase final de uma nova semana a todos os colegas 2.0! ♥

No último final de semana, a turma do #eadsunday andou a mil rotações por segundo produzindo um verdadeiro compartilhamento de idéias e conceitos, implodindo e reconstruindo conceitos em torno do tema “Desing Intrucional (DI)”.

A nomenclatura, a função, a interpretação institucional, mercadológica e acadêmica deste profissional da educação passaram por um pente fino pelos profissionais e colegas educadores @erionline, @DaisyGrisolia, @thbeth, @joaomattar, @rtracten, @antoniaalves entre outros. E eu não estava lá, tive que viver da leitura das tuitadas e me  senti provocado a participar.

Resumidamente, eu enquanto professor/aprendiz tenho como preocupação central a aprendizagem (minha e de meus alunos), e muitas vezes esta aprendizagem não esta diretamente relacionada a conteúdos, mas sim a percepção pelos atores das atitudes necessárias a formação de um ser social, em primeiro plano, e de um ser profissional, como consequencia do ser social.

Meu raciocinio sofre algumas restrições baseado no fato de minha atuação ser no ensino superior (últimos 10 anos) e dentro de empresas (últimos 25 anos)  e de ter trabalhado sempre com pequenos grupos de alunos nestes dois ambientes (no máximo 35 alunos). Além de que estes ambientes tem características bem diferentes em relação a outros níveis de ensino onde me falta experiência como educador .

Dito isto, vamos em frente que atras vem gente. Que tal uma olhada geral no úlimo #eadsunday:

clique na imagem p/ ampliar, ....origem: @DaisyGrisolia

Visão análitica do #eadsunday 27/11/20101

clique na imagem p/ ampliar, ....origem: http://archivist.visitmix.com

Acompanhe a discussão: resumo (12 páginas) dos tuites sobre DI (de 26/11 a 01/12) ou pela hashtag #eadsunday de qualquer hora e lugar lá no twitter. Veja tbém a contrbuição de nossa colega @DaisyGrisolia lá no NexPeople.

E o começo da discussão foi sobre a nomenclaura. DI remete muito mais a instrução pré programada (que foi a  origem do design instrucional lá no século passado, qdo nem existia  uma percepção da importância das tecnologias na educação) do que a aprendizagem e esta foi uma concordância entre os participantes.

Em seguida passamos a questões sobre a função do DI, o DI e as ferramentas tecnológicas disponíveis, o DI e a web 2.0 onde o aprendiz é buscador e produtor e não mais um mero recebedor de conteúdos.

Em relação a estes questionamento gostaria de posicionar, antes de voltarmos ao #eadsunday,  a opinião de duas especialistas na área de DI, as professoras Vani Kenski e Andrea Filatro que ampliam o conceito do termo instrucional tentando abstrair seu aspecto reducionista ( http://ow.ly/3i56e ) .

Vani: “O designer instrucional tem atribuições como planejar o conteúdo, executar o curso e, até, avaliar o aluno. Esses processos atualmente são realizados por profissionais que têm uma formação predominantemente tecnológica e não tem pedagógica. É preciso articular esse diálogo entre os profissionais tecnológicos e os da área pedagógica”
Filatro: o design se confunde um pouco com a didática do ponto de vista que “[…] ambos se ocupam de questões de planejamento e implementação de situações de ensino-aprendizagem”

Observando que estas colocações foram feitas a mais de meia década atrás, e de lá para cá muita coisa mudou e muita coisa continua na mesma

No embate conceitual o @joaomattar e o o @erionline tomaram conta da discussão e trouxeram posicionamentos e conteúdos importantes sobre o tema. O @joaomattar com uma visão mais de aplicação, e seu conceito de aututor, e o @erionline com uma visão mais conceitual do papel do DI. Mais tarde, na terça feira o @rtracten colocou uma visão de quem atua diretamente em cursos de formação de DI.

Links interessantes desta discussão:

  1. as influências teóricas do DI – http://bit.ly/d0ghCz (2006)
  2. questionando a nomenclaura:
    http://ow.ly/3gfTD Educating the next Generation (2005)
    http://ow.ly/3gfSa Curriculo Design for the next century (+/- 2006)
    http://ow.ly/3gfSx A Learning Theory for 21st-Century Students (+/- 2009)
    http://ow.ly/3gfSI Games as an Ideal Learning Environment (2008)
    http://ow.ly/3gfTc Designing Learning Spaces for Instruction, not Control (2009)
  3. Resenha de livros
    primeiro livro da Filatro: http://ow.ly/3gfY5
    livro em ingles: http://ow.ly/3gg5X
  4. Construtivism e cognitivism http://ow.ly/3gfZm

Como resultado  deste embate ficou acertado que o @joaomattar vai avaliar junto a ABED um evento ou mesa redonda ou videoconferencia ou um ringue para debatermos o assunto DI.  De antemão foram sugeridas as participações da Vani Kenski @vannitas, Andrea Filatro @andreafilatro, Ana Beatriz @anabee, Eliane Schlemmer @ElianeSchlemmer, Marcos Silva @Marcoparangole,  Régis Tractenberg @rtracten, além dos contendores @joaomattar e @erionline.

Ao final do debate, que ainda ñ foi finalizado, ficaram claros dois posicionamentos:

  1. o DI como função de apoio ao processo de aprendizagem
  2. O DI como competência de um novo professor/tutor

Pela minha experiência prático/teórica acompanhando tecnologias por mais de 30 anos, como instrutor de cursos sobre tecnologia e gestão para empresas por mais de vinte anos, onde comecei como instrucionista, passei para construtivista e nos últimos tempos conectivista, e minha experiência docente no ensino superior vou mais pela linha do prof. João Mattar (posicionamento 2), que me  parece utópica, mas pode vir a ser realidade a medida em que uma nova geração de professores encontrem um currículo mais dinâmico e adequado a uma atuação conectada com as necessidades das gerações conectadas que estão e estarão no processo de aprendizagem formal. Será que o processo continuará tão formal?

Finalizando, ainda tivemos alguns toques em relação a dois temas: Educomunicação e Conectivismo, que devem emergir nos próximos #eadsunday

E para não ficar muito no textual, que tal um videozinho de 2007 sobre tecnologias na educação en espanha.



 

Categorias:#eadsunday, DI, EaD

Gerações, tecnologias e mídias: Conflitos e convergências

Ola tchurma do #eadsunday,  do #plenk2010, do tuite, do facebook, do real e do virtual. Em meu último post aqui neste espaço, comentei do curso sobre PLE que estava rolando e da dificuldade de acompanhar a quantidade de interações que ocorriam no espaço do curso e nos espaços individuais de centenas de participantes. Pois bem, era muita anarquia para este ser anarquico e acabei passando de aprendiz a observador.

E todo este bla bla bla introdutório para escrever sobre dois eventos que tive a oportunidade de assistir esta semana: o mediaon 2010,  e o painel sobre a geração Y do expomanagement 2010. Ambos aconteceram em São Paulo onde, apesar de alguns discordarem, o Brasil acontece, e o que foi melhor,  sem transito caótico e sem ser atropelado na calçada por outros viventes, uma vez que os eventos foram via web e gratuitos. o mediaon 2010 inclusive esta disponibilizando todos os vídeos com as apresentações/palestras.

Os dois eventos tiveram como foco as novas gerações, chamadas de Y, Z (zapeando) e outras que ainda virão nos próximos anos e décadas (e que continuaram a ser codificadas/classificadas achemos ou não esta classificação desnecessária ou classificatória ao inves de formativa/avaliativa). E o interessante destes dois eventos foi que a forma com que estes dois segmentos, o jornalismo/comunicação no mídiaon, e a gestão no expomanagement,  lidam com estes novos atores digitais poderiam ser aplicados (e algumas idéias já estão sendo tímida e  individualmente aplicadas) na educação e na EaD.

Alguns excertos interessantes das diversas falas ouvidas entre inúmeros outros insigths interessantes recebidos:

  1. considerar a  mobilidade e a colaboração são imprescindíveis em qualquer ação que busque atingir este novo público.
  2. existe uma preocupação latente nas empresas em não saber lidar com estas novas pessoinhas que chegam ao mercado de trabalho
    – tem que buscar o dialogo
    – tem que mudar o relacionamento
    – chefia, gerencia devem ser substituidas por coaching
  3. geração com “crise de referência” versus “empresa lidar com novas referências”
  4. para esta geração o conteúdo é mais importante que a fonte e a experiência mais significativa que o discurso
  5. tecnologias podem ser restritivas ou inovativas, depende de como as vemos e usamos (pessimistas ou otimistas)
  6. mudança em variáveis de consumo
    – tempo passou de abundante a escasso
    – informação passou de escassa a abundante
  7. quem conhece a audiência é o produtor do conteúdo e não mais o desenvolvedor do produto ou serviço
  8. Audiência é o conteúdo, a mídia, o canal

Como já frisei anteriormente, apesar de os eventos não serem sobre educação eles tem tudo a ver com educação. Então convido os colegas a exercitarem este tudo a ver analisando cada um desses 8 itens acima (e acessando os links sobre os eventos) e estabelecendo paralelos com nossa atuação enquanto educadores e aprendizes.  Aceitam o convite?

E sobre aquele primeiro parágrafo, lá em cima, oquéqui ele tem a ver com estes dois eventos? Bem …, minha desmoralização como um educador transgerações, tem que ser muito YZ para poder acompanhar um curso destes.

Até mais, nos vemos por ai nos domingos da vida!

Depois das ferias merecidas, a volta do #eadsunday

Muito legais e uteis os links deste domingo (08/08). Pena que estamos deixando de lado o debate, e nos focando mais em trocar conteudos (nada contra os conteudos, sao de qualidade, alem de legais e uteis)

Entao vou aproveitar este post pra debater alguns destes incriveis links de ontem:

Rede de Estilos de Aprendizagem em EaD http://ow.ly/2l3lk

Vale a pena dar uma olhada, ver o nivel dos debates e questionamentos, alem da excelente conducao da equipe da rede.
E tem o curso gratuito, segunda turma em breve, sobre Estilos de Aprendizagem,  que alem de por a proa na direcao certa, mostra que agente pensa que sabe o que nem chegou perto de saber.

Vídeos com entrevistas sobre EAD: http://www.uwex.edu/disted/conference/videos2009.cfm

Onde achar tempo para exercitar tambem nosso estilo visual/auditivo. Where to find time? This is the big question? As entrevistas parecem ser interessantes. Preciso arrumar tempo.

Novas Tecnologias de Informação e Comunicação em Redes Educativas – grátis para download http://ow.ly/2l50S

EBA! mais uma producao nacional sobre tic e educacao que alguns colegas liberaram “open source”. Expeiencias na producao de conteudos em parceria/orientando os nossos queridos alunos

Por um modelo agrícola de educação. Defende Sir Ken Robison em palestra no TED http://bit.ly/bRBDiM

este video ja rodou em algum #eadsunday remoto (eu acho), mas e sempre bom recupera-lo, obrigado @erionline! Mas o mais legal e o esforco que o TED faz para traduzir estas palestras (talk show) para varios idiomas. Para o portugues  sao mais de 100 colaboradores e nosso colega @volneyf faz parte deste dedicado grupo. E este esforco vem de encontro ao pensamento de um tal de Bill Gates que tambem esteve presente neste #eadsunday (o pensamento e nao o bill, mas quem sabe um dia).

 

 

sobre obesidade de pensamento: http://paginasdefilosofia.blogspot.com/2010/08/precisamos-mesmo-de-uma-dieta-men

oppsss! este valeu pela reflexao e porque nao a comparacao fast food com fast desinformation.

Compartilhando o compartilhado pelo próprio autor … // RT @plevy RT @socioweb: Cibercultura – Pierre Lévy http://scr.bi/2lM4az

quem fez tcc, dissertacao ou tese sobre tics, passou por este livro. Agora nao precisa mais nem descobrir para quem a gente emprestou e nem ir reler na biblioteca.

Outros links interessantes que emergiram no ultimo domingo:

RT @joaomattar: Slactions – Research Conference in Second Life – Call for Papers http://ow.ly/2lKP7

RT @joaomattar: Online Learning Global Snapshot http://ow.ly/2lPS0

PS)  Nao gostei muito “Argentina, Chile, and Uruguay are Latin America’s most prosperous countries, …”

RT @joaomattar: N3/TECCOGS/Revista Digital de Tecnologias Cognitivas PUC/SP Aprendizagem em Ambientes Virtuais http://ow.ly/

RT @danielle_sales: ICT in Education: http://www.ictineducation.org/

RT @joaomattar: Nixty – crie seus cursos online http://www.nixty.com/

RT @joaomattar: Slactions – Research Conference in Second Life – Call for Papers http://ow.ly/2lKP7

Nova versão do TelEduc no ar http://ow.ly/2l4BP
PS) ate que enfim!

Uma otima semana a todos!

E assim que arrumar meu teclado e ele voltar a acentuar eu corrijo alguns dos erros de acentuacao deste post!

Categorias:#eadsunday, EaD, Educação

EaDSuNdAy em um clima de euforia portenha!

Fim de semestre, avaliações sendo corrigidas/finalizadas, Brasil e Argentina fora da copa, e principalmente #eadsuday correndo solto.

Entonces vamos que vamos:

Avaliações finais do semestre – pedagogia -4º período / fundamentos e políticas da EaD

  • a maioria das disciplinas em EaD pecaram pela falta de criatividade e iniciativa dos professores
  • professor despreparado, ensino desvirtuado
  • internet possibilita a articulação de novas linguagens e formas de apropriação do conhecimento
  • o perigo da internet e ser um desserviço para a educação e um espaço a serviço da “burrice”
  • internet torna a comunicação mais dinâmica rompendo fronteiras …
  • internet facilita o acesso a informações, e a troca de experiências e conteúdos
  • internet facilita desvios de atenção e dispersão ….. e foco excessivo no uso das ferramentas
  • EAD como modalidade de ensino precisa de espaço e credibilidade

Brasil e Argentina

Os dois prepotentes agora deveriam torcer pelo Uruguai, mas …

EaDsUnDaY

Pelo jeito esta todo mundo fechando as notas do semestre, menos o João que já deve ter fechado hehehe.

E para não perder a viagem ao blog ai vão alguns links interessantes:

@anabee http://ow.ly/20oTj

  • políticas pedagógicas sócio iteracionistas, mas estratégias diametralmente opostas
  • equivoco corrente de usar TICS como maquinas de ensinar

@joaomattar: Revistas Abertas de Tecnologia Educacional http://ow.ly/26JG3
______              Revistas sobre Educação http://bit.ly/929TnT
______              Classic Texts and Manuscripts in Education http://ow.ly/26Ohv

  • para mestrandos e orientadores nas áreas de tecnologias educacionais e educação a distancia e online.

E a  temática do ano, Design Instrucional e teorias de uma(s) educação a distancia, também foi contemplada e merece destaque:

  1. @joaomattar Uma perspectiva chinesa para o design instrucional. Tam (2000) http://ow.ly/26TkM
  2. @acalderon52 @apisanty @mtonus: Universal Instructional Design Principles for Moodle http://dlvr.it/2J4F6
  3. @joaomattar Castell, Bryson & Jenson (2002) Object lessons: Towards an educational theory of technology. http://ow.ly/26TwM
  4. @joaomattar Moving from theory to practice in the design of web-based learning from the perspective of constructivism http://ow.ly/26Txt

E para quem quiser mais links, basta fazer a pesquisa por “#eadsunday http joaomattar” para os links do prf. Mattar, ou “#eadsunday http” para todos os twits com link.

pesquisa no twitter

Categorias:#eadsunday, DI, EaD